Crime of Corruption (filme)

Crime de corrupção é um filme Argentina filmado na cor dirigido por Enrique Carreras sobre o seu próprio script escrito em colaboração Paulino Ares que estreou em 3 de outubro de 1991 e teve como principais atores Rodolfo Ranni , Mercedes Carreras , Mario Pasik e Camila Perissé .

Sinopse

Ao investigar a morte de uma jovem mulher, um comissário descobre que seu filho está envolvido nas ações de uma banda de narcotraficantes.

Fundido

  • Rodolfo Ranni … Comissário Ledesma
  • Mercedes Carreras … Dra. Gabriela Peña
  • Mario Pasik … Gabriel Ledesma
  • Camila Perissé … Roxana
  • Jorge LuzLa … Muda
  • Jorge Barreiro Sabino
  • María Carreras … María Ledesma
  • Marisa Carreras … Angelica
  • Alfonso De Grazia … Ernesto
  • Adolfo García Grau … Cholo
  • Guido Gorgatti … Cogote
  • Rubén Green … Pierre
  • Francisco Llanos … Mauricio Viale
  • Pepe Novoa
  • Victoria Carreras … Cristina
  • Noelle Balfour … Elena González
  • Linda Peretz … Mulher torturada
  • Mario Sánchez … El Cordobés
  • Luis Tasca … Comissário
  • Alfredo Zemma … Roberto
  • Marcos Zucker … Homem que encontra um cadáver
  • Guillermo Andino … apresentador de TV
  • Rolando Chaves … Prisioneiro
  • Enrique Kossi … Forense
  • Sandra Sandrini … Mulher no necrotério
  • Antonio Caride … Treinador 1
  • Carlos Vanoni
  • Héctor Armendáriz … Polícia 1
  • Carlos Luzietti … Médico
  • Fabián Gianola … Treinador 2
  • Pablo Pometti … Pablito
  • Claudia de la Calle
  • Carlos Grau
  • Mario Ernesto Olivietti
  • Gustavo Fraga
  • Jorge Taglioni
  • Jorge Linn
  • Juan Aaron
  • Marcelo Abeal Urquiza

Comentários

Hugo Ghitta em The Nation opinou:

“Um testemunho à maneira de Carreras … nas mãos de um diretor com força mais expressiva, a anedota poderia ter se tornado a temperatura para se tornar um forte conteúdo de testemunho”.

Alberto Farina em El Cronista Comercial disse:

“O filme começa com o tango Cambalache pré-anunciou os ingredientes deste produto, onde mesmo o ridículo é mais divertido do que muitos filmes pretentious vernaculares.

Manrupe e Portela escrevem:

“Carreras retornando à pseudodenuncia, num filme bastante digno dele e melhor tratado pelo crítico do que em outras oportunidades”.

Referências

  • Manrupe, Raúl; Portela, María Alejandra (2001). Um dicionário de filmes argentinos (1930-1995) . Buenos Aires, Editorial Corregidor. p. 162. ISBN  950-05-0896-6 .

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *