Aconteceu no Circus Tihany fantástico

Aconteceu no fantástico Circus Tihany é um filme argentino de 1981 , dirigido por Enrique Carreras de acordo com seu próprio roteiro escrito em colaboração com o roteiro de José Dominiani que estreou o 30 de abril de 1981 e foi realizado por um grande elenco que incluiu Tincho Zabala , Tristán , Susana Traverso , Daniel Miglioranza e Adriana Parets . Este foi o 77º produto da Carreras.

Sinopse

Conta a história de um crime quase perfeito aconteceu em um dos mais importantes circos do país, o circo Tihany. Vários são os suspeitos que virão à luz, mas apenas um é responsável pelo assassinato do importante empresário. Apenas um antigo comissário (Tincho Zabala) poderá descobrir o verdadeiro responsável.

Elenco

  • Tristan como Hercules
  • Susana Traverso como Cristina
  • Tincho Zabala como Comissário
  • Adriana Parets como Miss Angelica
  • Daniel Miglioranza como Ricardo, “The Incredible Mario”
  • Victoria Carreras como Victoria
  • Mariano Mores como ele próprio
  • Claudia Mores como cantora
  • Nito Mores como o cantor
  • Aurora del Mar
  • Juan Carlos Lamas como El Dandy
  • Sergio Malbrán como o falso doutor
  • Luis Aranda
  • Frank Czeilez como Tihany
  • Rafael Chumbita
  • Ballet Brandsen
  • Chorus Mancuso
  • Rodolfo Onetto
  • Oscar Roig
  • Enrique Kossi como Altman
  • Julio Lagorio

Comentários

Daniel López em Convicción opinou:

“O longa-metragem número 77 de Carreras nos permite notar algumas audacias estilísticas, como ter descoberto o uso de ocioso ou ousado para apresentar ao público um filme com grande número de cenas fora de foco. A identificação do professor com o assunto que ele controla é total. O coro vocal Mancuso aparece e desaparece magicamente de uma escada, na mesma seqüência.

A imprensa escreveu:

«Um filme-circo.»

Manrupe e Portela escrevem:

“Lamentável catálogo de estranheza que inclui um começo insuportável com as águas dançando ao som da Cavalaria Rusticana. Filmado para promover o título de circo. »

Fernando G. Varea diz que “os filmes que expuseram a ditadura militar argentina mais severamente foram aqueles destinados a crianças e famílias” 1 acrescenta que este filme foi a mera filmagem de números de circo na que tentou encobrir uma história policial improvisada e que “os filmes dirigidos por Carreras tiveram a aprovação e até o apoio dos presidentes”.

Notas

  1. Voltar ao topo↑ Varea, Fernando G. (2006). “Repressão e violência para todos”. Cinema argentino durante a ditadura militar 1976/1983 . Rosario. Editorial Municipal de Rosario. p. 57/63. ISBN  978-987-9267-28-8 .

Referências

  • Manrupe, Raúl; Portela, María Alejandra (2001). Um dicionário de filmes argentinos (1930-1995) . Buenos Aires, Editorial Corregidor. p. 550. ISBN  950-05-0896-6 .
  • Varea, Fernando Gabriel (2006). Cinema argentino: durante a ditadura militar, 1976-1983 . Buenos Aires: Municipal de Rosario.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *